loading gif
Loading...

Casa Comigo, Marta , Poema de Sérgio Godinho Interpretado por José Mário Branco

Letra: Sérgio Godinho
Música: José Mário Branco
Intérprete: José Mário Branco* (in "Mudam-se os Tempos, Mudam-se as Vontades", Guilda da Música, 1971; reed. EMI-VC, 1996)


Chamava-se ela Marta
Ele Doutor Dom Gaspar
Ela pobre e gaiata
Ele rico e tutelar
Gaspar tinha por Marta uma paixão sem par
Mas Marta andava farta, mais que farta de o aturar
– Casa comigo, Marta
Que eu estou morto por casar
– Casar contigo, não maganão
Não te metas comigo, deixa-me da mão

Casa comigo, Marta
Tenho roupa a passajar
Tenho talheres de prata
Mas estão todos por lavar
Tenho um faisão no forno e não sei cozinhar
Camisas, camisolas, lenços, fatos por passar
– Casa comigo, Marta
Tenho roupa a passajar
– Casar contigo, não maganão
Não te metas comigo, deixa-me da mão

Casa comigo, Marta
Tenho acções e rendimentos
Tenho uma cama larga
Num dos meus apartamentos
Tenho ouro na Suíça e padrinhos aos centos
Empresto e hipoteco e transacciono investimentos
– Casa comigo, Marta
Tenho acções e rendimentos
– Casar contigo, não maganão
Não te metas comigo, deixa-me da mão

Casa comigo, Marta
Tenho rédeas pra mandar
Tenho gente que trata
De me fazer respeitar
Tenho meios de sobra pra te nomear
Rainha dos pacóvios de aquém e de além-mar
– Casas comigo, Marta
Que eu obrigo-te a casar
– Casar contigo, não maganão
Só me levas contigo dentro dum caixão

Voltar

Área de utilizador

Top 10 de vendas

Novidades

Faça o login na sua conta do Portal